Mulher tem 3 filhos negros – a verdade por trás comoveu o mundo

Mai 06

O amor pelos filhos sempre será mais importante que o DNA, a pele e a corrente sanguínea!

Apesar de estarmos em 2017, o racismo e o preconceito continuam a poluir o nosso mundo.

Muitas pessoas são pouco abertas e com visões simplistas quanto à família, e acreditam que “todas tem de ser iguais”.

Aaron e Rachel Halbert experienciaram alguns preconceitos – apesar de merecerem muito e amor e respeito pelas decisões corajosas que tomaram.

Os Halberts adotaram duas crianças – e depois decidiram além – depois de descobrirem a adoção com embriões.

Os pais estavam determinados a dar uma casa a crianças sem família – e optaram pelos embriões congelados, que são por vezes esquecidos.

Não se importaram com os pormenores, como a cor superficial. Foram até um centro de doações de embriões, e encontraram um par de gémeos, que decidiram transformar em bebés.

Mas apesar de isto ser espantoso, esta história levou outro rumo inesperado. 

Aaron e Rachel Halbert sonhavam em ser pais, mas Rachel não conseguia engravidar.

Decidiram adotar duas crianças, um menino e uma menina.

Mas essa decisão foi muito contestada – pois as crianças tinham pele negra.

 “Sabíamos que, especialmente no Sul, um casal branco com filhos de outra raça ia ser contestado. Haverá sempre uma idosa branca no Walmart a olhar para nós com desprezo, ou uma mãe afro-americana, que abanará a cabeça quando nos vir”, disse Aaron ao Washington Post. 

Mas Aaron e Rachel estavam felizes, e orgulhosos da sua família.

Quando o casal foi informado sobre a opção dos embriões, decidiram que seria uma boa ideia.

Rachel implantou dois embriões afro-americanos, que estavam congelados há mais de 15 anos.

Os novos bebés “combinariam” com os irmãos que já existiam.

“Concordaram connosco, quanto à escolha de embriões com a mesma raça das crianças, e apoiaram a decisão da escolha de embriões afro-americanos”, escreveu Aaron. 

Depois de seis semanas, visitaram um médico, que vivia nas Honduras, onde receberam os pequenos embriões. E quando chegaram, o casal foi surpreendido.

“Começámos a descrever tudo ao nosso médico em Espanhol (mas não éramos fluentes). Ele perguntou-nos várias vezes se tínhamos a certeza que tínhamos transferido dois embriões. Sim, claro que sim, dissemos.”

Foi então que o casal descobriu que um dos embriões se tinha dividido no útero de Rachel. Ela estava grávida – não só com gémeos, mas com trigémeos!    

Os nascimentos correram bem, e agora, Rachel e Aaron têm cinco filhos lindos com pele negra. 

“Foi reconfortante saber que todos os nossos amigos e familiares nos apoiam apesar dos métodos estranhos que utilizamos. Nas nossas mentes, estamos a viver o nosso sonho. Um sonho que não mostra uma família normal, mas mostra uma família humilde, que está a fazer história”, disse Aaron.

“Senti imensa alegria durante esta gravidez, ao ver o meu filho e a minha filha, com a sua pele negra e com o cabelo encaracolado, a beijar a barriga da minha esposa. Todas as tardes, despediam-se das três raparigas a crescer na sua barriga, e agora podem despedir-se pessoalmente.

Não são adoráveis? 

Aaron descreveu a sua família lindamente: 

“Lembro-me de um amigo que estava a atravessar o processo de adoção, que dizia que a sua família seria como as Nações Unidas. Ao ver a minha família a crescer, prefiro ir além, e espero que a minha família mostre um pouco do Paraíso.

Pode descobrir mais sobre os Halberts e sobre a sua aventura especial abaixo: 

O amor por uma criança é mais importante do que o ADN, pele e sangue!

Por favor partilhe a história dos Halberts se acha que todos são iguais e que todos os pais têm o direito de formar a sua própria família, sem serem julgados.

Loading...

Categorias

Últimas Postagens

Título da postagem com limitação de caracteres.

Subtítulo da postagem com limitação de caracteres.

Notícias de Última Hora