Header Ads

  • Concurso e Empregos

    Casos de febre amarela em Senhor do Bonfim? Saiba tudo





    Embora as pessoas estejam apreensivas com as notícias de casos de Febre Amarela, não há registro da doença em Senhor do Bonfim, e a cidade não está entre as áreas de recomendação para vacina contra Febre Amarela, conforme comunicado da Secretaria de Saúde da Bahia (SESAB), por meio da Vigilância Epidemiológica.

    De acordo com a SESAB não há motivos para pânico com relação a febre amarela no município. Na nota informativa, apenas oito municípios foram selecionados para vacinação preventiva no Estado da Bahia: Camaçari, Candeias, Itaparica, Lauro de Freitas, Mata de São João, São Francisco do Conde, Vera Cruz e Salvador. A vacinação está anunciada para acontecer entre 19 de fevereiro e 09 de março, sendo o dia 24 de março o dia D de mobilização.

    Atualmente, o município de Senhor do Bonfim segue com a vacinação de rotina, disponibilizando as doses em todas as unidades e postos de saúde, em qualquer época do ano. Quem ainda não for vacinado e precisar se deslocar para áreas de risco, deve ser vacinado com no mínimo dez dias de antecedência da viagem.



    Em Senhor do Bonfim, a aplicação da dose é a convencional 0,5ml, ao contrário da fracionada usada nas cidades com risco da doença 0,1 ml - que precisa de reforço no período de oito anos.

    Segundo a Vigilância Epidemiológica, a aplicação acontece nas 13 Unidades de Saúde da Família do município, e quem já tomou uma dose da vacina na vida não precisa revacinar, mesmo que esta dose tenha sido ministrada há mais de 10 anos.

    “A gente está alertando para as pessoas levarem o cartão de vacina e do SUS, por que caso já tenha sido vacinada, não é mais necessário repetir o procedimento. O excesso pode trazer graves problemas, inclusive óbito ao paciente”, orientou a coordenadora de Imunização, Luciana Souza Silva Gomes.

    As contraindicações para vacinação contra febre amarela são:

    · Idade menor que seis meses
    · Hipersensibilidade a algum dos componentes da vacina
    · Portadores de imunodeficiências

    Existem situações de precaução, nas quais a indicação da vacinação deve ser ponderada entre risco e benefício:

    ·Idade entre seis e oito meses
    ·Pessoas acima de 60 anos devem passar por consulta médica para avaliar a necessidade da vacina.
    · Pessoas imunodeprimidas e em tratamento com imunossupressores;
    · Gestantes
    · Mulheres amamentando crianças menores de seis meses



    Transmissão da febre amarela

    Um ser humano ou um primata (macaco) com o vírus é picado por um mosquito transmissor. O inseto pica e passa o micro-organismo para outra pessoa, que desenvolve a doença. Não é possível a transmissão direta entre pessoas e animais, e vice-versa.
    O principal mosquito vetor da febre amarela silvestre no Brasil é o Haemagogus. Na versão urbana da doença, é o Aedes aegypti


    Sintomas

    Os principais sintomas da doença são febre alta, mal-estar, dor de cabeça, dor muscular muito forte, cansaço, calafrios, vômito e diarreia. Aproximadamente metade dos casos da doença evolui bem. Os outros 15% podem apresentar, além dos já citados, sintomas graves como icterícia, hemorragias, comprometimento dos rins, fígado e pulmão, além de problemas cardíacos que podem levar à morte. Uma vez recuperado, o paciente não apresenta sequelas.