Header Ads

  • Concurso e Empregos

    Presos que forçaram colegas de cela a fazer sexo são autuados por estupro

    IMAGEM_NOTICIA_1

    Daniel e Carlos Alberto são os únicos adultos envolvidos na morte do casal Juvenal Amaral Neto, 57, e Kelly Cristina Amaral, 44, na semana passada, em Camaçari, Região Metropolitana de Salvador. Outros três adolescentes participaram do crime e também foram identificados e detidos. Segundo a polícia, os cinco chegaram a estuprar Kelly várias vezes, inclusive na frente de Juvenal. O casal foi enforcado em seguida (ver abaixo).

    A professora Mayana Sales, especialista em Direito Penal, explicou ao CORREIO por que os presos que forçaram o estupro também são acusados do mesmo crime que condenam. "Os quatro são autores de estupro porque houve coerção moral dos outros presos. Quem auxilia moralmente a prática do crime também é considerado autor", declarou ela. 

    Ainda segundo Maiana, todos os envolvidos na situação cometeram um crime. "Em relação aos estupradores (Daniel e Carlos Alberto), enquanto um era vítima, o outro autor do delito", explicou ela, mesmo considerando que eram forçados a praticar o ato. No entanto, neste caso, eles não foram autuados.



    O delegado responsável pela investigação também já instaurou inquérito para apurar as circunstâncias em que o smartophone que filmou o crime chegou à carceragem da unidade policial, além de identificar todos os responsáveis.

    Segundo a família de um dos presos que fizeram sexo forçado, a imagem foi feita por outros presos custodiados na 18ª Delegacia (Camaçari). A Secretaria da Segurança Pública (SSP) confirmou que os vídeos foram gravados no local e que um inquérito foi aberto para apurar as circunstâncias e responsabilidades do ocorrido.


    Primeiro crime

    Daniel e Carlos Alberto foram capturados pela polícia no dia 9. Eles invadiram a residência do casal, no bairro Santo Antônio, na última sexta-feira (5), e queriam saber a localização de uma quantia de R$ 70 mil, recebida por uma das vítimas. Os corpos foram descobertos também na tarde de terça (9). 



    De acordo com a delegada responsável pelo caso, Maria Tereza Santos, titular da 4ª Delegacia de Homicídios (DH/Camaçari), o grupo teria planejado o crime para roubar a quantia, que tudo indica ser fruto de uma indenização.



    “Ele [um dos adolescentes] conhecia a rotina das vítimas e premeditou o crime. Mas o pior foi não foi só ter planejado. Eles queriam o dinheiro, queriam estuprar e matar”, comentou Maria Tereza.



    Após manter o casal em cárcere privado, os cinco envolvidos estupraram a mulher e, na sequência, torturaram os dois com golpes de faca. “Eles queriam saber onde o dinheiro estava”, explicou a delegada. Ainda segundo ela, no sábado (6), Carlos enforcou as vítimas. Já na madrugada de domingo (7), o grupo enterrou o corpo do casal no fundo da residência.

    *correio24horas