Header Ads

  • Concurso e Empregos

    Conheça as 10 praias mais bonitas da Baía de Todos os Santos



    Maior baía de águas tropicais do mundo, a Baía de Todos os Santos (BTS) abriga 56 ilhas e praias paradisíacas desde o Porto da Barra (seu limite ao Norte) até a Ponta dos Garcez (ao Sul). Sede da Amazônia Azul, o então “Grande Mar Interior” dos índios Tupinambás, descoberto pelos portugueses em 1501, banha hoje 18 municípios, o que inclui Salvador e cidades do Recôncavo Baiano. Agências de viagens e sites especializados em turismo listou as dez praias mais belas da Baía de Todos os Santos, além de trazer opções de lazer e gastronomia e dicas de como chegar até elas.

    “São praias dotadas de areia branca e mar calmo, com piscinas naturais, fozes de rios, até praias com restinga, mata e manguezais, além de muitas ilhas. E o povo é extremamente peculiar, com suas tradições, saberes e fazeres, numa mescla de várias culturas, com várias histórias, mas com um ponto em comum: o senso de pertencimento e de identificação com o seu lugar”, destaca Ednilson da Silva Andrade, turismólogo e professor da Unifacs.


    Sonho de férias para turistas de todo o mundo, algumas praias da BTS contam com reconhecimento internacional. A do Porto da Barra foi considerada em 2007 a terceira melhor praia do mundo em um ranking do jornal inglês The Guardian, elaborado pelo jornalista Gavin McOwana. Já a praia da Ponta de Nossa Senhora de Guadalupe, na Ilha dos Frades, obteve no ano passado a certificação Bandeira Azul, voltada à sustentabilidade, por meio da Foundation for Environmental Education (FEE).




    Confira o resultado: 

    1) Porto da Barra (Salvador): Considerada a terceira melhor praia do mundo em 2007 pelo jornal inglês The Guardian, a praia do Porto da Barra é famosa por suas águas cristalinas e tranquilas, ideais para o banho de mar e mergulhos. Costuma ser extremamente disputada por soteropolitanos e turistas durante o Verão e conta ao seu redor com uma ampla gama de serviços, como restaurantes, bares e hotéis. 

    (Foto: Max Haack/Agência Haack)


    O que fazer: Curtir o banho de mar ou mesmo mergulhar para conhecer alguns dos naufrágios históricos da Baía de Todos os Santos. A operadora de mergulho Dive Bahia, situada defronte à praia, cobra R$ 250 para “batizar” os iniciantes na prática, que podem conhecer até cinco navios naufragados na região. Também é possível aderir ao esporte stand up paddle, sucesso nos últimos anos.

    Como chegar: Passando o Farol da Barra, no sentido do centro de Salvador, basta percorrer alguns metros em frente. Ao seu lado encontra-se o Forte de Santa Maria.



    2) Ponta de Nossa Senhora de Guadalupe (Ilha dos Frades, Salvador): Uma grande faixa de mata nativa cerca a praia de águas transparentes e mornas, que foi a primeira do Norte-Nordeste e terceira do Brasil a receber a certificação internacional de sustentabilidade Bandeira Azul. Integra, desde 2008, uma Área de Proteção Cultural e Paisagística (APCP), e desde 1982 é Reserva Ecológica. A praia em si tem apenas 385 metros de extensão, mas no Verão chega a receber mais de 4 mil visitantes no final de semana, segundo a prefeitura.

    (Foto: Daniel Meira/Divulgação)


    O que fazer: Subir até o mirante onde ficam a igreja do século 17 e o farol para apreciar a vista ímpar da Baía de Todos os Santos.

    Como chegar: Barcos partem diariamente do Terminal Náutico do Comércio, em Salvador. Também é possível chegar através do terminal marítimo de Madre de Deus.


    3) Ponta dos Garcez (Jaguaripe): Uma das praias mais belas e intocadas de Jaguaripe, cidade que chegou a ser a primeira vila do Recôncavo, fundada por carta régia em 1693 sob o nome de Nossa Senhora d’Ajuda de Jaguaripe. 

    (Foto: Divulgação)


    O que fazer: Com 18 km de areias brancas, muito verde e mar azul, é lugar ideal para relaxar. Na pousada Porto Jaguaripe, já na parte central da cidade, a moqueca de robalo com arroz e pirão é o carro-chefe, e custa R$ 45 (serve duas pessoas). A caranguejada do local também é bastante famosa. Fica na Avenida Martinho Alburquerque, 184. O peixe frito servido nas barracas de palha distribuídas na orla também não deixa a desejar. A praia é muito procurada para atividades como a meditação.

    Como chegar: No Terminal de São Joaquim, pegue o ferry boat. De Bom Despacho, siga 61 km pela BA-001 até a cidade de Nazaré. De lá até o centro, são mais 14 km.



    4) Cacha-Pregos (entre a Ilha de Itaparica e o Recôncavo): Fica na ponta da Ilha, já perto do Recôncavo, e permite um dos banhos mais tranquilos da região. Tem poucas e baixas ondas, mas é preciso ter cuidado com a correnteza. A areia é sempre limpa, menos quando a maré está mudando, pois o sargaço se acumula. No Verão é preciso disputar espaço entre os guarda-sóis, mas nos outros meses a sensação é de estar em uma ilha deserta. 

    (Foto: Divulgação)


    O que fazer: Saborear no almoço a moqueca de camarão do restaurante Caiambá. O prato serve bem duas pessoas e custa R$ 85. Para petiscar, peça uma porção de quibes. Seis unidades custam R$ 25.

    Como chegar: Saindo de Bom Despacho, siga pela BA-001 até o cruzamento com a Estrada de Cacha-Pregos. Vá até o fim dela. O percurso leva, aproximadamente, 40 minutos.


    5) Loreto (Ilha dos Frades, Salvador): Situada na parte norte da Ilha dos Frades, apresenta um trecho de Mata Atlântica bastante preservado. A paisagem conta com a bela igreja de Nossa Senhora do Loreto.
    (Foto: Divulgação/Setur)


    O que fazer: É propícia ao mergulho, esportes náuticos e relaxamento.

    Como chegar: Embarcações saem regularmente a partir do terminal marítimo de Madre de Deus. É possível chegar lá pegando um ônibus na rodoviária (Viação Jauá). A viagem partindo de Salvador dura cerca de 1h30.

    6) Ponta de Areia (Ilha de Itaparica): A praia tem como principais características as águas calmas, perfeitas para o banho, e a areia branquinha e fina. A família inteira se diverte, seja adulto ou criança. Durante o inverno e nos meses de chuva, a região fica bem vazia e o banho é tranquilo. Já no Verão, o movimento é intenso e é preciso disputar espaço na areia.

    (Foto: Lucas Souza/Divulgação)


    O que fazer: Aproveitar a calmaria do mar de Ponta de Areia, que é sem ondas. Na culinária, destacam-se os restaurantes Jardim da Ilha, Manguezal, Kirimurê e Mar Azul. No cardápio, destaque para frutos do mar como mariscos e peixes.

    Como chegar: Saindo de Bom Despacho, siga pela Avenida Beira-Mar, antes do supermercado Bompreço, por cerca de 10 minutos.



    7) Praia das Neves (Ilha de Maré, Salvador): Paraíso de águas calmas e cristalinas e dotada de povo hospitaleiro, a Praia das Neves é uma das mais belas da Baía de Todos os Santos. Pouco frequentada em dias de semana. “Uma paisagem deslumbrante. Vale muito a visita”, sugere o turista Helder Barros, de Brasília.

    (Foto: Divulgação)


    O que fazer: Além de aproveitar as águas calmas e mornas, uma boa pedida é saborear a moqueca de peguari, molusco muito comum na região, servida pelos restaurantes locais. Importante lembrar que poucos restaurantes locais aceitam cartões de débito ou crédito.

    Como chegar: A partir da Base Naval (Praia de São Tomé de Paripe), no Subúrbio Ferroviário, pegar uma lancha ou barco no Terminal Marítimo (entre R$ 5 e R$ 10) que vá até o local. Antes é possível deixar o carro estacionado em estacionamentos privados na praia de São Tomé de Paripe (R$ 10).


    8) Ponta do Souza – Praia do Pina (Maragogipe): No Verão é a mais concorrida entre os moradores de Maragogipe e turistas. Mesmo fluvial, a praia sofre influência das marés. Rio Paraguaçu, mata e manguezal formam a paisagem do local, onde mulheres e crianças vivem da pesca do marisco. 

    (Foto: Divulgação)


    O que fazer: A praia conta com quiosques, que garantem a alimentação e bebida geladas. Para um passeio sustentável à região, recomenda-se levar uma sacolinha para recolher os resíduos a fim de não sujar a areia e a água.

    Como chegar: De automóvel, a 7 km da cidade, em estrada encascalhada. 

    9) Praia do Cação (Madre de Deus): Ideal para passeios e para quem quer conhecer lugares novos. “A noite a orla é uma delícia para passear”, afirma a frequentadora Ilka Magalhães. A soteropolitana Cristiane Araújo também sugere a visita. “É um lugar calmo e tranquilo. Dá para tomar sol e pegar aquele bronze”, brinca.

    (Foto: Igor Thomas)


    O que fazer: Curtir as águas cristalinas durante o dia, com vista para a ponte da cidade, e passear a noite nas localidades onde tem mais movimento. Há quiosques na região.

    Como chegar: O município da Região Metropolitana fica a 63 km da capital e tem como principal acesso a BR-324. Já pelo mar é possível chegar através da Baía de Todos os Santos até o Terminal Marítimo da cidade.



    10) Barra Grande (Ilha de Itaparica): O banho é tranquilo por conta de um quebra-mar natural que forma piscinas quando a maré está baixa. A vista é privilegiada e possibilita vislumbrar toda a Cidade Baixa de Salvador.

    (Foto: Divulgação)


    O que fazer: A praia se divide, basicamente, em duas partes. Uma mais badalada, próxima à igreja, com bares, onde rola música, e outra mais tranquila, próxima ao Condomínio Enseada do Arauá.

    Como chegar: Saindo de Bom Despacho, siga pela BA-001 por cerca de 18 minutos até o condomínio e vire à esquerda.

    *CORREIO24HORAS