Header Ads

  • Concurso e Empregos

    Obra da Embasa vai garantir mais segurança hídrica para Senhor do Bonfim e Jaguarari


    A Embasa já iniciou a obra que pretende levar água da Barragem do Sohen (Igara) ao município de Senhor do Bonfim e Jaguarari, reforçando a segurança hídrica na região, que atualmente vive em regime de racionamento de água por causa do nível ainda preocupante da Barragem de Ponto Novo e da previsão incerta de chuvas.


    De acordo com o gerente regional da Embasa de Senhor do Bonfim, Vinícius Araújo, a obra tem natureza estruturante e representa mais uma ação da empresa e do Governo do Estado de convivência com a seca e poderá ser utilizada de forma emergencial quando necessário. “Estamos vivendo um momento difícil e por isso precisamos adotar medidas preventivas para amenizar o desequilíbrioentre a oferta e a demanda do recurso hídrico em nossa região”, ressaltou Vinícius.

    PUBLICIDADE

    O investimento, da ordem de 3,1 Milhões, com recursos próprios, prevê a construção de seis quilômetros de adutoras de diâmetros que variam de 150 a 300 milímetros, dois equipamentos de captação de água, uma estação elevatória e uma estação de tratamento da água. A obra está sendo fiscalizada pelos engenheiros da Embasa, Carlos Júnior e Sandra Bartira, e pelo técnico em Saneamento da empresa, José Nunes.



    De acordo com Carlos Júnior, a obra está prevista para ser concluída em janeiro do próximo ano. “Ela vai permitir captar e aduzir água bruta até a estação de tratamento de água de Senhor do Bonfim para atender o município e Jaguarari, e, por meio de uma derivação, transportar o recurso hídrico até a estação de tratamento da água no distrito de Igara, que está em construção, para abastecer a localidade e adjacências”, explicou o engenheiro.


    Barragem do Açude do Sohen

    A Barragem do Açude do Sohen é administrada pelo Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (DNOCS) e atendeu o município de Senhor do Bonfim de 1969 a 1978. A barragem encontra-se com volume estimado de aproximadamente 50% da sua capacidade total de acumulação de água, que é de 14,4 Milhões de metros cúbicos. Segundo o biólogo e supervisor de Tratamento de Água da Embasa, José Augusto, a água do manancial será utilizada de forma a complementar a vazão necessária para atender a população. “Inicialmente pretendemos misturar este recurso hídrico com a água de outros mananciais garantindo o abastecimento à população dentro dos padrões exigidos pela portaria 2.914/2011 do Ministério da Saúde.



    Assessoria de Comunicação da Embasa