Header Ads

  • Concurso e Empregos

    Mulher corta órgão genital de amante enquanto ele dormia



    Brenda Barattini, de 26 anos, é uma arquiteta argentina. Ela foi presa neste último domingo (26), sob a acusação de mutilar o órgão genital de um homem identificado apenas pelo prenome Sergio, de 40 anos, residente na Córdoba, região central do país. Na delegacia, Brenda confessou ter amputado a vítima. Ela disse que só tomou tal decisão após ser abusada sexualmente por ele, porém, a defesa da vítima, nega tal acusação. De acordo com a polícia, a acusada teria atacado a vítima no último sábado (25), enquanto ele dormia.

    A acusada utilizou-se de uma tesoura de jardinagem para cometer o crime. Assim que ela o feriu, decidiu evadir-se do apartamento, localizado no bairro nobre de Nueva Córdoba. A vítima acordou após sentir as dores e passou a gritar por socorro. Momentos depois, os vizinhos acionaram uma equipe de paramédicos para socorre-lo. Ele foi encaminhado para uma unidade de saúde onde permanece internado.

    PUBLICIDADE



    O estado de Sergio é considerado estável. Médicos da unidade de saúde onde ele foi levado, conseguiram conter a hemorragia provocada pelos ferimentos. De acordo com o jornal Clarín, a acusada entrou no apartamento dele no sábado à noite. Vizinhos chegaram a ouvir barulhos no apartamento e decidiram ir até lá e se depararam com Sergio "amarrado e ensanguentado"

    O advogado da vítima, Eduardo Perez, disse ao jornal britânico Mirror que seu cliente sobreviveu, mas que "seu órgão sexual não tem mais utilidade". “Ele foi mutilado severamente", completou.

    A polícia afirma que a Sergio é amigo do irmão de Brenda. Foi através desta amizade que conheceu a arquiteta. O advogado dela, Carlos Nayi, falou ao Clarín: "A informação que recebi é que minha cliente foi atacada por Sergio. Ele abusou dela”, “Ela apenas se defendeu do ataque que sofreu” disse

    PUBLICIDADE



    Brenda agora precisará se submeter a testes psiquiátricos e psicológicos. Investigadores querem saber se ela tem algum distúrbio e se "estava consciente de seus atos" quando atacou a vítima. Ela também passou por alguns exames para constar se de fato ela havia sido atacada sexualmente antes de mutilar Sergio.

    A polícia tem dúvidas se o crime foi premeditado, já que Sergio disse aos médicos não ter tesoura de jardinagem no apartamento

    Colegas de Brenda também se manifestaram nas redes sociais e disseram o mesmo que o advogado havia dito em acusação a Sergio: "Ela foi estuprada por ele e se defendeu atacando-o". 

    Bettina Croppi, promotora de Córdoba, declarou que o estado de Sergio o sofrimento por ele foi causado por "danos sérios". Ela acrescentou dizendo que o homem, provavelmente nunca mais poderá ter filhos. Croppi disse ainda que Sergio estava amarrado e seus olhos haviam sido vendados.