Header Ads

  • Concurso e Empregos

    Jornalista morta em Salvador era amante de suspeito e pedia que ele ficasse só com ela


    Matheus William Oliveira Alecrim Dourado Araújo, 32 anos, contou para a polícia que matou a jornalista Daniela Bispo dos Santos, 38, porque estava sendo pressionado por ela a terminar o relacionamento que tinha com outra mulher. Os dois se conheceram em uma empresa de Call Center, há 3 anos, e, mesmo depois de deixarem de trabalhar juntos, mantiveram uma relação amorosa que terminou com o assassinato dela na noite desta segunda-feira (13).

    Segundo a delegada Milena Calmon, do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), na noite de ontem Matheus chegou ao Edifício Catabas Empresarial, na Avenida Tancredo Neves, no começo da noite. Ele carregava uma mochila e tinha marcado de conversas com Daniela. A jornalista trabalhava no 1º andar desse prédio.

    PUBLICIDADE



    Por volta das 19h, ela deixou a sala onde trabalhava e foi até o 6º andar do prédio. Na saída, Daniela disse aos colegas que iria em uma farmácia e voltaria em alguns minutos, mas, na verdade, estava indo se encontrar com Matheus.


    "Houve uma discussão, e ele contou que começou a agredir ela com socos. Depois, retirou uma pedra que tinha levado na mochila e passou a agredi-la com pedradas. Ela caiu um lance de escadas, do 6º para o 5º andar. Em seguida, ele trocou de camisa enquanto descia as escadas e saiu pela garagem do prédio", contou a delegada.

    Matheus foi flagrado pelas câmeras de segurança do edifício, e reconhecido por uma das amigas de Daniela. A amiga contou para a polícia que a jornalista já havia mostrado uma foto de Matheus para ela, e teria dito que eles estavam tendo um relacionamento.

    PUBLICIDADE



    A polícia foi até a casa dele, no bairro da Saúde, em Salvador. Ele não estava, mas a polícia conseguiu localizá-lo em Lauro de Freitas, na Região Metropolitana de Salvador. Ele negou o crime até ver as imagens. A polícia vai indiciá-lo por homicídio qualificado. A qualificante é feminicídio.