Header Ads

  • Concurso e Empregos

    Lembra da mãe que matou filho por ser gay? A vida a fez pagar muito caro

    Resultado de imagem para Lembra da mãe que matou filho por ser gay? A vida a fez pagar muito caro




    A morte do jovem Itaberli Lozano acabou tendo repercussão em todo o Brasil. Aos 17 anos, ele foi assassinado com a ajuda da mãe, Tatiana Ferreira, apenas por ser homossexual. Tatiana teve a ajuda do marido e de outros dois jovens para assassinar o rapaz. O crime ocorreu em dezembro de 2016, em Cravinhos, no interior de São Paulo.


    O caso acabou chocando o Brasil inteiro. Agora Tatiana vai ter que se ver com a Justiça. A vida a fez pagar muito caro por conta disso. Agora, como mostra uma reportagem do UOL publicada nesta terça-feira (3), Tatiana será levada a júri popular, que vai avaliar qual a pena que essa mãe merece por ter feito tanto mal para o próprio filho.


    Mãe ajuda em crime que matou jovem gay a facadas. Itaberli ainda teve o corpo queimado

    O crime acabou chocando o Brasil inteiro pelos requintes de crueldade. Primeiro, o rapaz levou facadas. Em seguida, ele teve o corpo queimado. O caso acabou sendo descoberto apenas porque o corpo de Itaberli foi achado perto de um rio.

    Ele estava coberto. Antes do crime, Tatiana, que trabalhava como gerente de um supermercado, gostava de se mostrar como uma família feliz. Até foto em família, com todos os integrantes vestidos de Papai Noel, chegou a ser feita.
    Padrasto de jovem gay que foi assassinado é solto e Ministério Público deve recorrer

    Alex Canteli, padrasto da vítima, foi solto recentemente. A Justiça entendeu que não havia provas suficiente para mantê-lo preso.

    No entanto, para o Ministério Público, que já revelou que irá recorrer da decisão, Alex teria ajudado a mulher a realizar o crime tão cruel contra a própria família.



    Mãe de Itaberli é comparada ao capeta por internautas revoltados

    De acordo com a investigação policial, Itaberli foi morto no dia 29 de dezembro, mas seu desaparecimento só foi registrado dois dias depois pela avó do adolescente. O corpo foi encontrado, carbonizado em um canavial, no dia 7 de janeiro.


    O fato da mãe do rapaz ir a júri popular acabou gerando grande comoção nas redes sociais. "Nossa! Que estória triste! Espero sinceramente que essa mãe volte para o lugar que nunca deveria ter saído... o inferno... ignorante", disse um internauta em tom bastante duro à mãe do jovem.


    Ministério Público diz que mãe matou filho por homofobia

    "Quem tem uma mãe como essa não precisa da proteção do capeta. Ela é o próprio", escreveu outro. O Ministério Público alega que o crime teria ocorrido por homofobia. Na delegacia, a mulher teria dito até mesmo que não aguentava mais o jeito de seu filho.