Header Ads

  • Concurso e Empregos

    Treinador de time paulista é preso suspeito de estuprar 18 crianças


    Desta vez, mais um caso tem ganhado destaque em diversos meios de comunicação. O trinador de futebol infantil Altamir Pontes de Matos, de 34 anos, é acusado de praticar estupro contra 18 crianças na faixa etária de 8 a 11 anos, no município de Ribeirão Branco, interior de São Paulo. Ele foi preso temporariamente sob ordem judicial, na tarde da última quarta-feira (23).


    O delegado Lúcio Antônio Barbosa afirmou que foram realizados exames no Instituto Médico Legal (IML) de Itapeva. Treze crianças passaram pelos exames, e em oito delas o resultado deu positivo para violência sexual, enquanto as outra cinco afirmaram ter passado apenas por atos libidinosos, o que a lei considera como estupro de vulnerável.

    Diante de tal divulgação, nesta quinta-feira (24), outras cinco famílias procuraram a polícia para relatar a violência sexual sofrida por seus filhos. O treinador nega todos os crimes.

    A polícia informou que o treinador já atuava há pelo menos três anos no projeto social realizado na zona rural do município, que está na pior colocação do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do Estado. Ainda segundo informações da polícia, o acusado tinha sob sua responsabilidade cerca de 60 crianças inclusas no projeto que tinham treinamentos de futebol.


    Segundo o delegado, o treinador oferecia privilégios no time para alguns meninos em troca de favores sexuais. Uma das crianças contou ao delegado que o treinador chegou a forçá-lo ter relações sexuais com ele. De imediato, foi acionado o Conselho Tutelar, que encaminhou o caso para à Polícia Civil.


    O delegado ainda contou que foi realizado uma investigação, que apurou que o treinador fazia reuniões com os garotos em sua residência e lá colocava filmes eróticos para eles assistirem. Foi constatado também que era oferecido presente para os garotos que Matos considerava como preferidos.

    O delegado afirma que as investigações vão continuar e que o número de vítimas pode ser ainda maior. Todas as crianças do time serão ouvidas e as que confirmarem os abusos passarão por atendimentos psicológicos.

    Um dia antes de ser preso, o treinador postou em seu perfil na rede social Facebook um texto alegando inocência. “Me acusaram de praticar abuso contra as crianças do time que treinava, porém de forma injusta. Estou procurando minha defesa, colaborando com a polícia em tudo”, escreveu o acusado.

    Ele afirmou a polícia que o autor dos crimes seria uma outra pessoa. “Minha consciência está tranquila, vou provar minha inocência e sair dessa”, escreveu, deixando claro que “de modo algum se pode julgar alguém sem as devidas provas”.