Header Ads

  • Concurso e Empregos

    Acusado de matar a esposa com requintes de crueldade é condenado a 32 anos de prisão



    Depois de quase 20 horas de julgamento no fórum de Senhor do Bonfim, a Justiça condenou João Macedo, acusado pela morte de sua esposa Márcia Regina, em 2011. Ela foi assassinada com requintes de crueldade dentro de casa e logo após teve seu corpo jogado Na BA que liga Senhor do Bonfim ao município de Campo Formoso, onde João Macedo com a ajuda de seu irmão Renato Macedo, tentou simular um acidente.

    O julgamento começou nessa terça-feira (18) e varou a madrugada. João Macedo foi condenado a 30 anos em regime fechado, além de 2 anos por fraude processual. Já Renato Macedo foi sentenciado a 3 anos em regime semiaberto.


    Os advogados Cássio Madureira e Pedro Cordeiro e fizeram a defesa dos acusados, porém o advogado Pedro Cordeiro desistiu de prosseguir com a defesa dos acusados. Essa desistência resultou em uma multa equivalente a 50 salários mínimos.

    Os condenados foram levados para o Complexo Policial de Senhor do Bonfim onde cumprirão sentença. 




    Relembre o caso:

    Em 30 de outubro de 2011, João Macedo, algemou Márcia Regina e iniciou a sessão de tortura e espancamento que durou cerca de quinze minutos. Algemada e indefesa, Márcia recebeu golpes violentos em várias partes do corpo e não suportando tamanha violência acabou perdendo a vida. O crime bárbaro de acordo com a Polícia ocorreu no quarto dos dois filhos do casal que no momento não estavam na residência.


    Na noite do crime, João Macedo contou com a participação de um dos seus irmãos para fazer uma verdadeira encenação. Mostrando-se frio e calculista, o ex- investigador colocou uma calça e uma blusa em sua esposa já sem vida, colocou no carro e circulou pela cidade com Márcia já morta amarrada a um cinto de segurança. Na BA que liga Senhor do Bonfim ao município de Campo Formoso, simulou um acidente, novamente com a ajuda de familiares, retirou o corpo de Márcia Regina e jogando-o no mato nas margens da rodovia.

    João Macedo contou que o casal estava se dirigindo para uma festa na cidade de Pindobaçu, que após um desentendimento Márcia teria aberto a porta do carro e se jogado no asfalto.

    No velório de Márcia Regina, surgiram as primeiras suspeitas. Entrou em ação o delegado Felipe Nery, que iniciou a investigação e concluiu que Márcia havia sido assassinada.

    João Macedo participou do velório, foi à missa de sétimo dia e ainda teve a coragem de visitar o túmulo de Márcia no dia de finados.

    .