Header Ads

  • Concurso e Empregos

    Mesmo com proibição da Justiça, tradicional 'guerra de espadas' é realizada em Senhor do Bonfim




    Os chamados “espadeiros” não se intimidaram com a proibição do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) e foram para a Rua Costa Pinto fazer a tradicional “guerra de espadas”, na noite de sexta-feira (23), na cidade de Senhor do Bonfim, região norte da Bahia.


    Uma viatura da Polícia Militar esteve no local onde ocorreu a prática tradicional na cidade, acompanhou a situação, mas não chegou a interferiu na “guerra”, para evitar o confronto com os praticantes. [Assista ao vídeo acima]


    O TJ-BA determinou que quem descumprisse a medida poderia ser preso e pagar multa de até R$ 10 mil. A associação dos espadeiros do município informou que iria recorrer da decisão.


    Protesto


    Os espadeiros fizeram um protesto pelas ruas da cidade, contra a decisão judicial, alegando que a prática é uma tradição. Os manifestantes realizaram um caminhada passando pelas ruas Costa Pinto, Júlio Silva e Barão de Cotegipe, onde acontece o percurso da "guerra de espadas".

    Protesto saiu pela ruas de Senhor do Bonfim em defesa da

    "Foi um ato da população contra essa decisão judicial que é precipitada. A guerra de espadas é uma tradição que tem quase um século e representa a identidade da cidade nessa época do ano", destacou Darlan Valverde presidente da associação de espadeiros da cidade.


    “O intuito dos espadeiros é brincar e não agredir ninguém, por isso o número de queimados diminuiu cada vez mais na cidade”, defendeu o espadeiro Rômulo Júnior.


    A decisão da Justiça atendeu a um pedido feito pelo Ministério Público do estado (MP-BA), que considera a prática uma atividade perigosa e que já havia recomendado à prefeitura do município que não promovesse, preparasse, apoiasse ou cooperasse com a execução da guerra de espadas na cidade.



    Com informações do G1 / Imagens Internet