Após roubar o carro de uma mulher, que estava acompanhada da filha de apenas 2 anos no veículo, em Mauá, na Grande São Paulo, um assaltante pediu que ela tivesse calma e que entendesse a situação pela qual passava.

Para tentar justificar o seu ato criminoso, ocorrido na tarde dessa sexta-feira (12), e impedir qualquer reação por parte da vítima, que estava com a filha dentro do carro, o ladrão deu uma desculpa um tanto estranha. O assaltante afirmou, com todas as letras, que também era “pai de família”, alegando que a vítima era obrigada a compreender o roubo, porque ele não era um bandido comum, porque tinha filhos e família..

Disse que a mulher poderia “ficar calma”, porque ele deixaria que ela retirasse a filha de dentro do veículo. Ao que tudo indica, o homem foi auxiliado por um comparsa.

Momentos depois...

O veículo roubado foi encontrado cinco horas depois pela Rota (Rondas Ostensivas Tobias do Aguiar) na Zona Leste de São Paulo, na Rua Arraias do Araguaia. A Polícia Militar encontrou o carro porque durante a fuga o assaltante passou por um “radar inteligente”, que identificou o alerta de roubo do veículo através das placas.

Com isso, o sistema da PM foi acionado e mostrou onde estava o carro. A Rota foi ao local, viu o carro e tentou a abordagem, momento em que ocorreu um confronto entre os assaltantes e a polícia, que culminou em troca de tiros.

Os suspeitos tentaram fugir, mas a Rota não permitiu. Com isso, um dos suspeitos foi baleado, encaminhado para o hospital da região, mas não resistiu. Já o comparsa dele conseguiu empreender fuga e até o momento não foi encontrado pela polícia..

Segundo a polícia, por sorte a avenida não estava movimentada durante o confronto, o que poderia ter ferido outras pessoas que transitavam pela região, bem como trazido outros prejuízos.

A mãe e a criança não sofreram danos físicos, salvo o de ordem psicológica inerente ao trauma decorrente de vivenciar o roubo. A vítima não quis dar entrevistas, mas o marido dela afirmou que se pudesse mudaria de País em virtude da constante violência que presencia no Brasil.

Ele disse, finalmente, que hoje os cidadãos de bem ficam trancados em suas casas, enquanto os bandidos transitam livremente pelas ruas e que isso, infelizmente, é uma realidade que atinge muitos e muitos brasileiros trabalhadores e honestos.

Postar um comentário :