Header Ads

  • Concurso e Empregos

    Vídeo mostra homem golpeando cavalo a pauladas em Sergipe



    Um vídeo tomou conta da internet desde a última sexta-feira (14), após divulgar um homem, que não teve o nome divulgado, golpeando de forma brutal um jumento com várias pauladas na altura da cabeça. As primeiras informações é que tudo ocorreu no Povoado Brasília, no município de Lagarto, no Ceará. 

    O homem aparece no vídeo com um pedaço grosso de madeira, a gravação inicia-se e o homem acerta a primeira paulada no animal que de imediato cai ao chão, segundo depois o homem novamente acerta a cabeça do animal, no momento da segunda paulada é possível ouvir uma voz ao fundo que dizia “Agora está bom”, duas mulheres também comentam sobre o que estava acontecendo, mas não interfere a barbaridade. A que estava filmando ainda fica apreensiva e chega a falar o nome de Jesus ao ver o homem derrubando o animal na primeira paulada. “Não tem jeito, é bater e cair”, comenta outra mulher.

    A presidente da ONG Animais Amigos, Simone Almeida informou que só recebeu o vídeo na manhã da sexta-feira (14), e quando divulgou na internet, em poucos minutos viu o vídeo se espalhar por todos os cantos do país. Simone ainda comentou que segundo informações de populares, esse não foi o primeiro animal morto desta forma pelo homem que aparece nas imagens. A defensora dos animais pediu encarecidamente que outras ONGs se manifestem para que sejam tomadas as devidas providencias contra o homem.

    Ainda não de sabe o verdadeiro motivo que o homem teria feito as agressões e nem se o cavalo conseguiu sobreviver aos ataques.



    No vídeo abaixo você poderá ver o momento exato em que tudo acontece sendo registrado por uma câmera de celular.



    A presidente da ONG garantiu que existe a Lei Federal 9.605 de 1998, que prevê a devida punição para o responsável dos abusos praticados contra o animal, a lei cita casos de maus-tratos, mutilar ou ferir animais silvestres, domesticados ou domésticos, exóticos ou nativos. Com a pena decretada em uma imediata detenção, que pode levar de três a doze meses, além de uma multa em dinheiro estipulada polo juiz. A pena ainda poderá ser mais pesada, caso ocorra à morte do animal.

    Um site de notícias regional de Sergipe tentou entrar em contato com a Delegacia do município de Lagarto, mas não obtiveram êxito.