O governador Rui Costa admitiu que os servidores estaduais da Bahia não devem receber reajuste em 2017. Em conversa com jornalistas nesta terça-feira (20), para fazer um balanço do ano, Rui disse que "não há milagre a fazer" e avaliou que o momento da economia não deve permitir o reajuste.

Questionado sobre o fato do governo estadual fechar o ano já estourando o limite para gastos da folha no pagamento, ele falou do que esperar para o ano que vem. "Não há medida que eu consiga fazer a não ser que sejam drásticas, o que não é a minha pretensão. Não há milagre a fazer. Se a economia continuar desse jeito, não haverá reajuste dos servidores em 2017. A reforma na estrutura do governo é permanente. Na medida em que funcionários de várias áreas vão aposentando, eu não estou repondo esse pessoal. Só estou repondo polícia civil, polícia militar e professor. Nem a área de saúde estou repondo. Nossa ideia é adotar modelos de PPP [Parceria Público-Privada] nos hospitais. Na medida em que os profissionais de saúde foram se aposentando, nos novos hospitais vamos abrindo como OS ou PPP, que significa serviço público gratuito mas não servidores públicos e com isso eu diminuo o índice a longo prazo", diz.


Rui falou também das mudanças da Previdência Social. "A contribuição atual dos servidores é 12%. O governo quer condicionar o aval para empréstimo internacional aos estados que elevarem a contribuição para 14%, mesmo que parcelado. Estou esperando essa votação e devemos mexer nisso, ou vai faltar dinheiro para a previdência. Apenas nesses 60 dias que estamos falando da Reforma da Previdência, três mil pedidos de aposentadoria foram recebidos pela Secretaria de Educação. Sobre a reforma, eu defendo que haja uma idade mínima, que não é 65, mas que seja um meio termo", diz.


Postar um comentário :