Na última sexta-feira (17), uma comitiva de empresários chineses visitou Senhor do Bonfim com intuito de discutir a viabilidade do município se transformar num grande exportador de carne de jegue para a República da China. Os investidores foram recebidos pelo prefeito Carlos Brasileiro, o vice Zé Antônio e sua equipe de secretários.

“Isso é fruto do trabalho de uma gestão que se propôs a retomar o desenvolvimento do nosso município, no caso especifico do investimento dos chineses, vai trazer dividendos para toda nossa região”, disse Brasileiro.

Segundo o secretário de Desenvolvimento Agropecuário, Fábio Cedraz, o investimento anunciado pelos chineses é de 50 milhões de dólares – cerca de R$ 160 milhões de reais. “O desejo dos chineses é fazer a exportação da carne de 360 mil jegues por ano”. Fábio ainda comentou: “Para suprir as necessidades, criadores da micro e macrorregião serão estimulados a criar animais para atender a grande demanda.

Na manhã do sábado, 18 de março, a comitiva esteve visitando as dependências do antigo frigorifico da Cormasa, uma dos principais exportadores de carne de jegue para o exterior, nos anos 60 e 70. A Cormasa fica em Senhor do Bonfim e está desativada desde 1982. Recentemente foi adquirida pelo grupo Fribarreiras, que inclusive está em processo de reativação das instalações destinadas ao abate, processamento e armazenamento de produtos de origem animal.

Na tarde de sábado, os asiáticos viajaram para cumprir alguns compromissos nos estados de Pernambuco, Ceará e Rio Grande do Norte. Na agenda, ficou marcado o retorno a Senhor do Bonfim no próximo dia 25 de março. “Nós vamos programar uma grande reunião com os prefeitos de várias cidades do norte e nordeste da Bahia para apresentar o projeto”, adiantou Brasileiro.

A China já mata 1,5 milhão de jegues ao ano, criados no país, na Índia e na Zâmbia. O processo envolve tecnologia de ponta, com melhoria genética, cuidados na produção de alimentos específicos e assistência técnica. No país asiático a carne dos muares é considerada uma iguaria.
 
 

Postar um comentário :