Header Ads

  • Concurso e Empregos

    JOVEM É ESTUPRADA POR 30 HOMENS E CRIMINOSOS SÃO JURADOS DE MORTE NA WEB



    O caso brutal da jovem do Rio de Janeiro que foi abusada sexualmente por mais de trinta homens deve ser lembrado por muito tempo. Isso porque, após a publicação do vídeo do estupro por um dos agressores, diversos comentários ameaçando um dos jovens supostamente identificados pelos internautas bombardearam o perfil dele. Contudo, a conta Doctor Stranger (@michelbrasil7) foi deletada pelo usuário da rede social, mas ainda assim pode ser rastreada pela Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI), que investiga o caso no momento.

    As imagens vazaram na tarde da última terça-feira, dia 23 de maio, porém começaram a viralizar durante a quarta por conta de um tweet publicado pelo usuário ainda não identificado pela polícia. O que impressionou os internautas, que já podem denunciar o caso por diversos canais (Ouvidoria do Ministério Público, Polícia Federal, Disque 180, Delegacia de Defesa da Mulher) foi a frieza e tom jocoso com que os criminosos abordam o abuso: 'essa engravidou' e 'foram mais de trinta' são exemplos das falas dos bandidos. A jovem aparece no vídeo desacordada e não responde aos homens, que se divertem e riem da situação.


    Ameaças

    Pela rede social Facebook, alguns usuários dizem já ter identificado o criminoso e fizeram algumas ameaças explícitas.

    "Não vai ficar assim, leke. O que você fez com ela vai ter volta. Pode esperar que você vai sofrer em dobro", escreveu um dos internautas.

    Já outra pessoa se disse chocada com a situação.

    "Como é possível isso? E ainda tem gente pelo face acusando a mina de ter 'dormido' com eles!! Cadê a humanidade de vocês, mano??? Ela foi abusada e isso tá claro. Temos que pegar esses cachorros na porrada", escreveu uma das usuária do site.


    O que fazer

    De acordo com o Jornal Extra, que divulgou inclusive imagens da jovem no vídeo - o que não é recomendado pela Delegacia de Combate aos Crimes Digitais - o titular da unidade pede que quem tiver acesso ao vídeo não repasse, pois isso fere a integridade da vítima, que deve ser protegida a todo o custo. Já os criminosos devem ser identificados em breve e sofrer as devidas punições.