Header Ads

  • Concurso e Empregos

    Agentes de saúde vão receber gratificação por combate ao Aedes




    Imagem (Poder e Saúde)
    Na luta contra o mosquito Aedes aegypti, a recompensa aos profissionais que atuam nas ações de controle do vetor da dengue, zika e chikungunya ganhou um incentivo financeiro. No último fim de semana, um decreto publicado no Diário Oficial do Recife autorizou o pagamento de diárias extras para os agentes envolvidos no combate às arboviroses, por reconhecer a importância do trabalho dos profissionais. 



    A medida, válida com efeito retroativo a partir de 1º de março, terá validade até o dia 30 de maio. O objetivo é reconhecer o trabalho dos agentes no combate às arboviroses. O valor das diárias naõ foi informado pela Secretaria de Saúde do Recife. Segundo a agente de vigilância ambiental e controle de endemias Rute Dutra, a remuneração extra ainda não foi dada para os agentes pois o repasse foi agendado para o fim de abril. Por enquanto, os profissionais contentam-se com as conquistas diárias durante os mutirões. Principalmente, com o apoio das comunidades.



    “A conscientização dos moradores é uma conquista nossa. À medida que vamos trabalhando, levando as informações, os moradores se tornam mais receptivos. É através do nosso cuidado com a abordagem às pessoas que conseguimos reduzir o número de focos do mosquito. Independentemente do dinheiro, essa é uma das coisas que a gente mais deseja”, frisa a agente.


    De acordo com a gerente do Distrito Sanitário III, Ana Sofia Costa, a pouca receptividade dos moradores da capital pernambucana, quando a Prefeitura decretou estado de emergência, em novembro de 2015, virou coisa do passado. Com a ampla discussão sobre os perigos da dengue, zika e chikungunya, a relação entre moradores e agentes de endemias têm melhorado e, hoje em dia, são poucas as vezes em que há recusa da visita dos profissionais.


    “Hoje em dia, essas doenças têm sido muito discutidas e as pessoas têm aceitado a presença dos agentes. O trabalho tem sido intensificado e a relação com os moradores tende a melhorar. Ontem, o saldo do mutirão foi positivo e hoje acredito que será da mesma forma”, comenta Ana Sofia.


    Desde a última segunda (4), os profissionais realizam um mutirão no Córrego do Jenipapo, na Zona Norte do Recife. Cerca de 36 profissionais – entre agentes de saúde, agentes comunitários e militares do exército – participam da ação. Diferentemente dos demais mutirões, esse foi convocado pela própria comunidade, o que dá ainda mais motivação para combater a tríplice epidemia na Região Metropolitana do Recife.


    Para a líder comunitária Iranete Correia, o mutirão precisa ser permanente. “Em todas as ruas daqui tem gente doente. O pessoal do Córrego do Jenipapo e de toda a cidade do Recife deve manter as casas livres do mosquito. Temos que ser fiscais da casa dos nossos vizinhos também”, frisa. Nesta terça (5), o mutirão segue até às 17h.


    Ainda segundo a gerente do Distrito Sanitário III, a expectativa é que cerca de 2.100 imóveis sejam visitados ao longo dos dois dias.

    Mutirão tem a presença de agentes de saúde, militares e líderes comunitários (Foto: Cacyone Gomes/TV Globo)

    *G1.COM