Em Petrolina, no Sertão de Pernambuco, está em fase de teste um drone, veículo aéreo não tripulado, que será usado para monitorar áreas com focos do mosquito Aedes aegypti, trasnmissor da Dengue, Zika e Chikungunya. A ferramenta é controlada por um técnico e sobrevoa os bairros consideradores de maior risco de infestação do inseto. A previsão é de que o equipamento passe a ser utilizado em definitivo na próxima semana.

“Esse drone será usado nos bairros apontados pelo LIRAa (Levantamento de Índice Rápido de Infestação por Aedes aegypti) como de maior número de mosquitos circulando. Bairros como o São Jorge, São Joaquim, Terras do Sul, Dom Avelar, João de Deus e São Gonçalo. Iniciaremos por eles, que são os mais preocupantes, depois iremos para outras localidades”, explica a secretária de Saúde de Petrolina, Lúcia Giesta.


A aeronave filma em resolução 4K, que é da ordem de 3840×2160 pixels, o equivalente a quatro vezes o padrão Full HD. Com as imagens do aparelho, os profissionais da Secretaria de Saúde procuram por depósitos de água descobertos, locais onde o mosquito deposita as larvas. “O drone faz a imagem com georreferenciamento, localização da rua e da casa, para que os agentes de controle de endemias possam ir direto à residência onde está um possível foco do mosquito, o que seria mais difícil sem a ajuda das imagens”, conta Lúcia Giesta.

Além do drone, os agentes de controle de endemias também estão indo nas casas dos moradores para esclarecer sobre os cuidados. A dona de casa Raiane Alves Pereira aprova a ação. “É muito importante que os agentes visitem as casas, para fiscalizar, porque algumas pessoas deixam passar alguns objetos que acumulam água”, comentou.



Postar um comentário :